A necessidade de exercício do cão

Se calculássemos a quantidade de exercício realizado pela maioria dos cães de companhia, ficaríamos surpreendidos ao verificar que muitos dos que vivem num apartamento não percorrem sequer cem metros por dia. E alguns cães apáticos, que passam a maior parte do tempo a dormitar no jardim da casa, não praticam muito mais. No entanto, qualquer deles, sem treino algum, poderia acompanhar o seu dono num passeio de uma hora de duração sem se fatigar.

O cão tem a capacidade de percorrer enormes distâncias sem parar. São frequentes os casos de cães que perseguem ininterruptamente a sua presa durante vários dias. Quando, por fim, conseguem abatê-la ou a perdem definitivamente, entregam-se a um descanso contínuo durante um dia, sem comerem nada, para depois continuarem tão ativos como antes.

Embora determinadas instalações ofereçam a possibilidade de que o cão faça exercício sozinho e à sua vontade, geralmente isso serve apenas para tranquilizar os seus impulsos.

Existem curiosas demonstrações de atividade por parte de animais encarcerados durante um longo período. Saltar de uma parede do canil para a outra, dar voltas sobre si mesmos em perseguição da própria cauda, percorrer rapidamente o perímetro do espaço de clausura ou subir e descer continuamente do cimo da casota são apenas maneiras de fazer exercício e de gastar energia com o fim de manter o equilíbrio das reservas orgânicas. Considerar de imediato que representam condutas patológicas pode ser um erro. Em muitas ocasiões, tais comportamentos têm como objetivo satisfazer uma necessidade natural de exercício.

Por vezes, no entanto, fixam-se de tal forma que acabam por se tornar verdadeiros comportamentos neuróticos.

O proprietário de um cão de companhia deve assegurar-lhe a possibilidade de praticar um mínimo de exercício físico. Um passeio por dia pode ser suficiente, na maioria dos casos, para manter o exemplar em perfeito estado de saude e equilíbrio psíquico. Se, além disso, lhe for dado, nos fins-de-semana, algum tempo suplementar para uma caminhada mais longa, acompanhando o dono que segue a pé ou de bicicleta, percorrendo 5 ou 6 km, ou se fizer exercício indo buscar várias vezes uma bola que se atira para longe, então ainda melhor.

Os cães que trabalham com gado têm garantido o seu exercício. Os cães operacionais das forças de segurança mantêm-se ocupados durante quase toda a vida.

Os cães de caça precisam de realizar um mínimo de exercício fora da temporada para que, ao aproximar-se a época cinegética, possam adquirir a forma necessária em pouco tempo. O proprietário responsável leva os seus cães ao campo durante o período de defeso e inicia a temporada cinegética pouco a pouco para evitar que se lesionem durante os primeiros dias da atividade venatória.

Porém, os cães que são utilizados no desporto têm de seguir um programa de treino definido, caso se pretenda que apresentem um rendimento apropriado quando for necessário. Para conseguir o aproveitamento ótimo das suas aptidões, os cães de alta competição precisam de ser submetidos a um regime de exercício rigoroso, diferente em cada caso segundo a especialidade competitiva de que se trate.

Adicionar Comentário